20 de janeiro de 2011

Julho de 2009.

Feira de Santana, Bahia. Julho de 2009.

Queen,

Os bons morrem jovens, já dizia o poeta. É, mas ele deveria saber que os nem tão bons morrem jovens também. Não  por influência do destino ou algo do tipo. Talvez por estupidez, por querer abrir mão de tudo, assim, de forma triste, trágica, covarde. Aposto 2 dedos da mão que você deve ter pensado: "Que vadia louca e estúpida!" É, acho que sou tudo isso, inclusive covarde. É ignorância dizer que precisa-se de coragem para tomar uma decisão dessa. Não. Precisa-se é de muita covardia.
Sabe, você é uma das pessoas mais inteligentes que tive a honra de conhecer. E não falo de boletins, escola. Vai muito além. Você sabe tanto da vida, mesmo estando nas primeiras primaveras da sua. Você me compreendeu de maneira singular, enxergando através dessa neblina de dureza e rebeldia. E por trás das palavras trêbadas, lia uma mente sóbria.
Olha, não compare a efemeridade de minhas palavras breves, das quais te considerei - especialmente - merecedora,  a infinidade do carinho que tenho por você. Dessa vez não pretendo ser prolixa.

ps.: Augusto estava certo, afinal.

     "É a solução de quem não quer perder aquilo que já tem e fecha a mão pra o que há de vir ♪ "

2 comentários:

- Tainnah B. disse...

Um salve à Radio Nacional. (:

Nathália Lima disse...

A única ouvinte da minha rádio nacional. Ô Queen, volte sempre, esteja sempre, já sabe né?!
Ainda que às vezes prolixa, às vezes lacônica!

Saudades imensas!
Tai.