11 de junho de 2009

Dia ruim

Pelo que me disseram, até meu tom de voz parece ter mudado. De um tom firme e confiante, para um tom baixo, fraco, de quem tem medo do que está por vir, de quem não tem fôlego pra protestar. As circunstâncias mudam, nós mudamos, crescemos. Será que é possível crescer sem perder a essência? Pra que ter que passar a viver apenas preso nessa realidade chata?
O tempo teima em correr. Tempo, eu te odeio. Eu era uma sonhadora até você me por pra baixo. O meu coração agora pesa e não consigo mais flutuar.Você tenta todo dia me ensinar a lição. Eu sei que sonhos são apenas sonhos e que eles não vão se realizar, mas me deixa viver nessa mentira, me deixa viver nessa ilusão. É que mentiras sinceras me interessam. Me deixa flutuar, mesmo que eu caia. Não venha me jogar falhas e decepções na cara, não venha me dizer: Eu te avisei, olha pra você agora.
Eu posso estar triste e com os pés no chão, mas é só que eu tive um dia ruim. Não importa o quanto os ventos soprem contra, eu reaprendo a voar.

4 comentários:

Nathália Lima disse...

Você é tão prolixa Tai....Mudanças sempre são assim, impactantes...

Tai Araújo disse...

Impactantes é pouco :x

Colégio Juiz Jorge disse...

Gostei muito do que você escreveu, é sinal de crescimento. Te amo muito,
Tia Vilma.

Soh uma palavrinha! xD disse...

Ele também me pôs pra baixo. Foi no ensino médio, quando eu disse que iria fazer de tudo pra me dar bem, tirar boas notas, continuar ser a the best da sala, ser notada...E acabou o ensino médio! E eu sou vista como uma aberração. Até de esquizofrênica eu fui chamada! E pelas costas.

Mas...deixa comigo!!!
Eu vou voltar a ficar por cima denovo